Bridging in crypto

O que Deve Saber Sobre o Bridging de Criptomoedas?

Reading time

A criação de criptomoedas e as economias descentralizadas facilitaram a inovação de várias ferramentas e programas que escalam a usabilidade destas tecnologias e expandem os seus casos de uso.

As transferências de criptoomoedas dependem da blockchain como o pilar da descentralização e das transações peer-to-peer, registando as atividades na rede partilhada.

A blockochain da Bitcoin é o primeiro livro-razão descentralizado, que regista as transações BTC. No entanto, o crescimento massivo nas DeFi e da Web 3.0 assistiu à fundação de várias blockchains e redes. Estas plataformas comunicam umas com as outras utilizando uma ferramenta de bridging de criptomoedas.

Resumidamente, as pontes de criptomoedas servem como um terreno comum entre diferentes ecossistemas blockchain. Analisemos detalhadamente o que é o bridging nas criptomoedas e porque é importante.

Principais Considerações

  1. As pontes de criptomoedas são ferramentas que ligam duas blockchains diferentes.
  2. As pontes são utilizadas porque as blockchains utilizam diferentes protocolos, regulamentos e regras criptográficas, tornando impossível interagirem sem um intermediário.
  3. O bridging nas criptomoedas é utilizado para trocar moedas, enviar ativos digitais ou participar em pools de liquidez ou outras dApps.
  4. As pontes blockchain diferem das bolsas porque implicam menos passos e permitem que os utilizadores interajam diretamente sem lidarem com plataformas centralizadas e carteiras.

Compreender a Ponte de Criptomoedas

As finanças descentralizadas são constituídas por ecossistemas blockchain, redes, aplicações, plataformas bolsa etc. Estas ferramentas interagem umas com as outras para servirem diferentes finalidades, tais como transferência de dinheiro, compra de produtos e de serviços, desenvolvimento de programas, software operacional etc.

No entanto, cada blockchain é escrita numa linguagem de programação diferente e segue uma abordagem distinta. Por exemplo, a Ethereum utiliza um protocolo de consenso avançado que potencia a criação de múltiplas moedas, tokens, aplicações, jogos e plataformas.

Por outro lado, a blockchain Bitcoin é principalmente utilizada para armazenar e iniciar transações BTC num ambiente nuvem seguro, assegurado por criptografia sofisticada e infraestrutura de chave pública que torna as transferências seguras.

Estas blockchains precisam de comunicar umas com as outras e com outras redes para facilitarem transferências de moeda digital, a interoperabilidade das dApps e a validação da transação. No entanto, dado que são criados de forma diferente, eles podem enfrentar desafios na compreensão uns dos outros.

Eis onde as pontes de criptomoedas brilham, servindo como um intermediário entre diferentes cadeias e fornecendo um terreno comum que liga as diferenças para servir o utilizador final.

Assim sendo, uma ponte cross-chain expande a utilidade das blockchains e contribui para a eficiência geral da economia descentralizada.

crypto bridges

Como Funcionam as Pontes Blockchain?

As pontes de criptomoedas facilitam a troca entre diferentes moedas e tokens registados em diferentes redes. Por exemplo, quer investir em algum jogo de criptomoedas na blockchain Ethereum, mas só possui a Bitcoin. 

Classicamente, precisaria de levantar as suas posses em BTC para dinheiro fiduciário e, depois, comprar ETH com o dinheiro fiduciário que ganhou. No entanto, as pontes de criptomoedas tornam este processo mais simples, trocando simplesmente a sua BTC pelo equivalente da Bitcoin na rede ETH.

Ao fazerem-no, as pontes bloqueiam as suas posses de BTC e trocam-nas pela BTC da Ethereum para manterem o equilíbrio da oferta de Bitcoin.

how crypto bridges operate

Tipos de Pontes de Criptomoedas

As pontes na economia descentralizada servem finalidades semelhantes de diferentes formas. Consoante o tipo de operações e de criptomoedas envolvidas, pode encontrar as seguintes ferramentas.

types of crypto bridges

Pontes Centralizadas

As pontes centralizadas são uma forma comum de trocar moedas virtuais e tokens, tais como bolsas de criptomoedas, permitindo-lhe fazer o swap de criptomoedas em passos simples.

Estas entidades operam através de diferentes pools de criptomoedas, bloqueando as suas moedas trocadas e dando-lhe o equivalente na rede com que está a interagir. Por exemplo, eles bloqueiam as suas BTC dão-lhe o BTC da ETH. Desta forma, a BTC gasta é mantida fora de circulação.

As pontes centralizadas requerem alta confiança, e só devem lidar com plataformas muitíssimo fiáveis, onde está a oferecer as suas posses em criptomoedas em troca de outras moedas sem comprar, na realidade, um produto.

Pontes Descentralizadas

As pontes descentralizadas requerem menos confiança (também designadas pontes de confiança) porque não lida com uma entidade particular. Ao invés, lida com um sistema de contratos inteligentes e protocolos avançados que executam operações assim que determinados critérios forem atendidos.

Digamos que está a gastar as suas BTCs numa dApp sediada na Ethereum. As pontes descentralizadas bloqueiam o seu dinheiro e libertam imediatamente as Bitcoins da ETH para a sua carteira numa transação imaculada que requer menos interação e, eventualmente, menos mecanismos de confiança.

No entanto, o contratempo aqui é que estas redes podem ser expostas a ameaças de segurança e a ataques informáticos a criptomoedas que almejam transações e as redirecionam na sua direção, privando as carteiras de milhões de dólares.

centralised and decentralised crypto bridges

Pontes Híbridas

As pontes híbridas incorporam recursos de pontes centralizadas e descentralizadas. Por exemplo, uma ponte multi-chain pode realizar transações utilizando o método centralizado, mas utilizar contratos inteligentes para validar e transmitir a operação na blockchain.

Pontes Federadas

As pontes federadas são um grupo de nós de confiança que validam transações entre diferentes blockchains. Cada nó validador é responsável por uma rede específica, processando as operações na sua cadeia designada.

Estas entidades são selecionadas tendo como base vários critérios e, habitualmente, merecem a confiança por parte das comunidades de criptomoedas, facilitando transações suaves entre diferentes cadeias.

Pontes de Camada 2

A Camada 2 é um tipo de rede que é criada na mainnet para aliviar a carga de algumas transações na blockchain, facilitando transações e processamentos mais rápidos. Estas pontes ajudam as redes de camada 2 de outras cadeias a suportarem a interoperabilidade e a escalabilidade da blockchain.

Pontes de Liquidez

Estas soluções ligam os titulares de criptomoedas a vários pools de moedas virtuais para trocarem as moedas e os tokens através de prestadores de liquidez ao invésd e uma ponta centralizada ou descentralizada. Por conseguinte, eles requerem menos confiança e fornecem liquidez eficiente e soluções de swap

Pontes de Interoperabilidade

As pontes de interoperabilidade suportam a troca de ativos digitais e de criações em diferentes cadeias. Estas pontes cross-chain iniciaram as operações para a criação e gestão de dApps, permitindo que as plataformas e aplicações operem em mais do que uma blockchain.

Em janeiro de 2024, há mais de 4500 dApps só na rede Ethereum, um aumento considerável relativamente às 3000 dApps contabilizadas em outubro de 2023.

Curiosidade

Bolsas de criptomoedas vs. Pontes

As bolsas e pontes podem parecer semelhantes dado que ambas facilitam a troca de criptomoedas e de ativos digitais entre plataformas. Contudo, elas seguem uma abordagem diferente.

Assuma que tem Bitcoins, mas quer participar numa pool de staking sediada na Ethereum porque proporciona um APY% comsiderável. Pode juntar-se a esta oportunidade de duas formas: através de uma bolsa ou de uma ponte de criptomoedas.

Com uma bolsa: vende a sua BTC por dinheiro fiduciário, de seguida, compra as moedas ETH pretendidas. Alternativamente, pode trocar as suas Bitcoins por Ethereum e enviar as suas moedas ETH para uma carteira compatível.

Com uma ponte: pode juntar-se diretamente à campanha de staking porque a ponte trocará as suas moedas originais pelas específicas para a Ethereum (Wrapped Ethereum, WETH), para ser compatível com a rede.

Qual é a diferença entre estas duas operações? Abordemo-lo a partir da perspetiva do trilema da blockchain.

  • Escalabilidade: a utilização de uma ponte envolve menos intermediários, tornando a transação mais barata e mais rápida do que a abordagem por múltiplos passos da bolsa.
  • Segurança: a realização de operações numa bolsa requer uma confiança elevada dado que as operações são realizadas num servidor, o qual tanto pode ser comprometido ou associado à volatilidade do valor da moeda devido ao processo prolongado.
  • Descentralização: as transações por ponte são mais compatíveis com a essência das DeFi, permitindo que os utilizadores preservem a sua identidade e utilizem ecossistemas descentralizados para transferirem ativos ou moedas.

A Importância das Pontes de Criptomoedas

As pontes em criptomoedas são a chave para explorar mais casos de uso e expandir a utilidade das dApps e das plataformas DeFi em várias redes blockchain. Eis o que torna as pontes importantes.

benefits of crypto bridges

Transferências de Criptomoedas

As pontes são muitíssimo valiosas na transferências de criptomoedas e de tokens de diferentes blockchains. Por exemplo, se quiser trocar as suas moedas Ethereum por BNB da Binance, o bridging ajudá-lo-á a depositar as suas moedas e a receber as ETHs equivalentes na Binance Smart Chain.

Esta utilidade tem uma utilização ideal quando se trata de trocar ou de comprar criptomoedas sem passar por múltiplas transações e pagar diferentes taxas. Além disso, é mais rápida dado que é executada utilizando um contrato inteligente ao invés de uma plataforma centralizada ou uma bolsa off/on-ramp.

Facilita as dApps

As aplicações descentralizadas estão a prosperar no ecossistema das criptomoedas, onde os criadores desenvolvem jogos, ferramentas, ativos e outras utilidades e as disponibilizam às comunidades digitais.

No entanto, uma dApp em particular pode ser desenvolvida numa blockchain específica. Por conseguinte, as pontes permitem investir, gastar e interagir com a aplicação utilizando diferentes cadeias, moedas e tokens.

Liquidez das Criptomoedas

Além de ligarem os utilizadores a pontes de liquidez para trocarem as suas moedas, as pontes de criptomoedas ajudam as plataformas a escalar as suas ofertas e a expandir o seu alcance, permitindo que os utilizadores comprem e vendam diferentes criptomoedas. 

Por conseguinte, aumenta o número de transações e de moedas disponíveis no mercado.

Queimar Criptomoedas

As pontes utilizam contratos inteligentes e seguem um algoritmo sofisticado para manter a oferta de moedas e de token equilibrada. 

Assim sendo, quando estabelece a ponte entre diferentes moedas, as criptomoedas depositadas são bloqueadas ou queimadas, e novos tokens de ponte são criados para manter o nível de circulação e evitar flutuações na volatilidade.

Processo de Validação

As pontes de camada 2 e de interoperabilidade são utilizadas para acelerar a transação e o processo de validação retirando o peso da mainnet da blockchain que a série de operações contínuas massivas acarreta. Desta forma, as transferências e transações de criptomoedas são processadas e finalizadas muito mais depressa e mais baratas.

Inversão do Ativo

As plataformas ponte de criptomoeda suportam operações invertidas. Assim sendo, se quiser voltar a trocar para a sua moeda original, estas cross-chains devolver-lhe-ão as moedas que depositou inicialmente. 

Em troca, elas queimam ou bloqueiam os tokens recém criados específicos da blockchain em contratos especiais e mantêm-nos fora de circulação.

O Processo de Bridging de Criptomoedas

A interação com as pontes de criptomoedas é muito simples e, na maioria dos casos, os utilizadores não conseguem distinguir se estão a utilizar uma ponte de criptomoedas dado que este termo refere-se a uma ferramenta de comunicação entre duas redes blockchain. No entanto, eis como funciona o processo.

  1. Um utilizador envia moedas cunhadas na blockchain A, mas que não são compatíveis com a blockchain B. 
  2. Os contratos inteligentes da blockchain A processam a operação e ligam as pontes bloqueando os ativos depositados.
  3. A Ponte A comunica os detalhes da transação relativos à moeda e à quantia para a Ponte B.
  4. A Ponte B inicia a criação de novas criptomoedas equivalentes às depositadas nas moedas nativas na blockchain B.
bridging cryptocurrencies

Observe que as transações de ponte operam em ambos os sentidos. Assim sendo, se um trader quiser inverter a interação utilizando as novas moedas wrapped, um processo de inversão inicia-se bloqueando as novas moedas e libertando as originais.

Escolher a Ponte de Criptomoedas Correta

Há várias plataformas DeFi e cross-chains que serem finalidades semelhantes, ligando diferentes redes blockchain. No entanto, lidar com as melhores pontes de criptomoedas garante a segurança dos seus fundos e da sua identidade. Eis como pode detetar uma ponte DeFi fiável.

  • Facilidade de Utilização: habitualmente, as plataformas centralizadas são mais fáceis de compreender porque são diretas e promovem a transparência e a facilidade de utilização dado que servem uma base de utilizadores maior.
  • Fiabilidade: é crucial encontrar uma plataforma confiável e fiável para garantir a segurança dos seus fundos e a velocidade das transações. Isto é particularmente necessário dado que as transações de criptomoedas são imutáveis e têm um histórico de ataques informáticos e de violações.
  • Suporte: consulte as plataformas, dApps e moedas suportadas, e garanta que oferecem serviços que cobrem as suas necessidades, quer queira participar em pools de staking ou apenas trocar duas criptomoedas.
  • Taxas: as pontes e plataformas de swap implicam várias taxas, as quais dependem muitíssimo da procura, da moeda e das políticas da plataforma. Por conseguinte, consulte a estrutura de preços e garante que não há quaisquer taxas escondidas que possam diminuir o valor dos seus ativos digitais.
top crypto bridges

Desafios de Segurança das Pontes de Criptomoedas

A cibersegurança é um tópico quente quando se trata de critpomoedas e de plataformas descentralizadas. Por conseguinte, é importante considerar os desafios de segurança associados às plataformas e pontes DeFi.

A troca de moedas com pontes descentralizadas é muitíssimo arriscada porque implica a interação anónima entre dois utilizadores, e se uma das partes não pretender agir de boa-fé, isso significa que pode depositar os seus fundos sem receber nada em troca.

Além disso, tenha em consideração os programas de burla com criptomoedas que alimentam expetativas irrealistas sobre um determinado projeto ou dApp, atraindo-o para utilizar uma determinada ponte antes de puxar o tapete e desaparecer com os seus ativos.

Conclusão

As pontes de criptomoedas são ferramentas descentralizadas que iniciam a interação entre duas cadeias para facilitarem transações de criptomoedas, swaps, a escalabilidade de dApps etc.

Várias plataformas seguem diferentes abordagens sobre como desenvolvem uma ponte blockchain, quer seja para prestar liquidez, para suportar a interoperabilidade ou para acelerar o processo de validação em múltiplas cadeias. Por conseguinte, os utilizadores interagem com diferentes pontes consoante as suas necessidades.

As pontes diferem das bolsas de criptomoedas no sentido de que são mais rápidas, mais baratas e mais fiáveis. No entanto, enquanto ferramenta descentralizada, as ferramentas de bridging acarretam riscos de segurança, implicando uma avaliação cuidada antes de selecionar a correta.

Perguntas Frequentes

Como funciona o bridging nas criptomoedas?

O bridging de criptomoedas é o processo de ligar redes blockchain separadas para facilitar as transações entre ativos e moedas cunhadas em diferentes cadeias.

Quatno tempo demora o bridging de criptomoedas?

O processo depende do tempo de carregamento da rede, da congestão e da plataforma utilizada. Tipicamente, o tempo de transação estende-se entre alguns segundos até aproximadamente 10 minutos.

Qual é a diferença entre ponte e bolsa?

A bolsa requer trocar moedas por dinheiro fiduciário como um intermediário ou a troca de criptomoedas numa plataforma centralizada para armazenar os seus fundos. No entanto, as pontes permitem que interaja com diferentes cadeias utilizando diretamente a sua moeda.

Porque estabelecem a ponte de criptomoedas?

O bridging das suas criptomoedas é uma forma mais rápida e mais barata de transferir dinheiro digital, de enviar ativos digitais e de investir nos pools de staking ou de liquidez da Web 3.0, independentemente da sua criptomoeda.

Artigos recentes

Getting Ready for The Highly Anticipated FMPS 2024
Bringing Our Payment Solutions To The Finance Magnates Pacific Summit
10.06.2024
Suiting Up For Crypto Discussions at The Massive Token 2049
Token 2049 Singapore is Around The Corner – Here Are Our Plans
10.06.2024
B2BinPay Suits Up for Money Expo India 2024!
B2BinPay is Good to Go at Money Expo India 2024! 
05.06.2024
B2BiPay v20 update
B2BinPay v20 – Melhorando a Funcionalidade com o Staking TRX e Suporte Blockchain Mais Abrangente