Polygon vs Avalanche - Why You Need These Scaling Solutions?

Polygon vs. Avalanche: Qual Fica no Topo nas Transações de Criptomoedas?

Reading time

As criptomoedas foram criadas tendo como base a blockchain Bitoin, que era o único livro-razão público onde todos os pagamentos Bitcoin e transações de criptomoedas eram registados.

No entanto, com os diversos investimentos realizados nesta indústria e tecnologia avançada em torno das criptomoedas, emergiram novas blockchains e casos de uso. Hoje, as cadeias descentralizadas conseguem suportar transações, aplicações digitais, projetos de investimetnos em criptomoedas e outras plataformas DeFi.

A Polygon e a Avalanche emergiram recentemente como redes de rápido crescimento com vários casos de uso que beneficiam os desenvolvedores de criptomoedas e as plataformas descentralizadas. Cada blockchain oferece benefícios distintos e suporta vários tokens e moedas.

Analisemos a Polygon vs. Avalanche para descobrirmos os prós e contras de cada rede e qual funciona melhor para si.

Principais Considerações

  1. A Polygon e a Avalanche são as cadeias descentralizadas mais populares que suportam projetos de criptomoedas, plataformas DeFi e tokens.
  2. A Polygon é desenvolvida na blockchain Ethereum, oferecendo muitos recursos que superam os problemas de escalabilidade e de desempenho da ETH.
  3. A Avalanche funciona através de três sidechains, suportando a cunhagem NTF, a criação de tokens, projetos Web 3.0 e plataformas de câmbio.

Compreender a Polygon

A Polygon Network foi fundada em 2017 por três engenheiros e apoiada por vários investidores da Decentraland e da Chainlink. A equipa de desenvolvimento criou a Polygon como uma rede de camada 2 na blockchain Ethereum.

As cadeias de camada 2 são redes suplementares desenvolvidas sobre uma mainnet blockchain em particular para descarregar alguns processos e operações. A velocidade de transação da Polygon é uma das mais fortes nas redes descentralizadas, processando cerca de 65 000 transações por segundo.

O MATIC é o token nativo da sidechain Polygon, com uma oferta em circulação de mais de 9 mil milhões de moedas de um total de 10 mil milhões.

A Polygon utiliza a proof-of-stake para a validação da transação, com a rede de um nó constituída por validadores e delegadores. Os validadores processam transações e garantem que cada operação está em conformidade com as regras definidas. Assim que a transação é verificada, esta é adicionada à blockchain.

Entretanto, os delegadores atuam como fiadores, investindo os seus MATIC através de um validador e recebendo recompensas por cada transação verificada, mas perdendo a sua participação das recompensas caso o validador atue maliciosamente.

Polygon daily transactions

Supernets Polygon

A supernet da Polygon é o modelo de blockchain que permite que outros projetos de criptomoedas e aplicações descentralizadas sejam compatíveis com a rede. Este modelo consiste de diferentes componentes, conforme exibido abaixo.

  • Plasma da Polygon: a cadeia de camada 2 que permite que a mainnet delegue algumas operações à sidechain.
  • ZK-rollups: uma inovação utilizada para realizar transações off-chain. A abordagem conhecimento zero é um modelo de validação que não expõe os dados processados ou chaves privadas.
  • Cadeias soberanas: cadeias de camada 2 que funcionam como uma cadeia isolada, com os seus respetivos validadores e mineiros e que alojam vários projetos e dApps.
  • Cadeias seguras: cadeias de escalabilidade que dependem dos validadores da mainnet, mineiros e recursos de segurança para desenvolver várias plataformas DeFi e ativos digitais.

Casos de Uso da Polygon

A solução de escalabilidade da Polygon ajuda a superior as deficiências da blockchain Ethereum, particularmente quando se trata da velocidade e dos custos. Esta camada 2 expande a utilidade da blockchain ETH para os seguintes casos de uso.

  • Prestação e contração de empréstimos utilizando os pools descentralizados da Polygon com taxas de transação mais baixas do que a Ethereum enquanto beneficia das características de segurança da cadeia principal da Ethereum.
  • Apoia plataformas de bolsa descentralizadas que utilizam taxas baixas e o poder de processamento elevado da rede Polygon.
  • Muitos mercados NFT tiram partido do custo e da estrutura de segurança da Polygon, permitindo que os artistas digitais criem e cunhem as suas criações cripto.
  • Muitas DAOs criam o seu ecossistema descentralizado na Polygon, promovendo o controlo impulsionado pela comunidade e sistemas de voto e de governação transparentes. 

Compreender a Avalanche

A Avalanche foi inicialmente lançada como uma testnet em 2019, mas o seu lançamento final decorreu em 2021 pela Ava Labs Company, que consistia de três profissionais da blockchain que desenvolveram a Avalanche como uma solução de escalabilidade. A rede é altamente compatível com as aplicações e plataformas baseadas em ETH porque suporta a máquina virtual Ethereum.

As cadeias suportadas pela Avalanche são compostas pela X-Chain, C-Chain e P-Chain. Este sistema open-source foi criado para cobrir as lacunas nas blockchains Bitcoin e Ethereum, particularmente quando se trata de escalabilidade e de suportar múltiplas cadeias.

A velocidade de transação da Avalanche é potenciada por operações de contratos inteligentes, com uma capacidade de processamento superior a 4500 transações por segundo, quando comparada com as 14 transações por segundo da Ethereum, tornando-a numa das redes mais rápidas.

O AVAX é o token nativo da Avalanche e a moeda centralizada da rede, que pode ser utilizada para a governação descentralizada, um mecanismo de votação e um método de pagamento de taxa para desenvolvedores digitais.

A oferta total de AVAX está planeada para os 720 milhões, com uma circulação atual de 367,5 milhões de moedas, que tem características anti-inflacionárias baseadas nos votos dos utilizadores e num método de consenso.

Avalanche daily transactions

Subnets Avalanche

As várias subnets Avalanche permitem que os negócios e os projetos de criptomoedas criem as suas respetivas blockchains públicas ou privadas utilizando recursos de segurança unificados.

As três sub-chains da Avalanche (AVAX) são protegidas com diferentes camadas. O protocolo de segurança Snowman é uma medida otimizada para a cadeia para assegurar operações de contratos inteligentes rápidos, além de um consenso DAG que garante que as transações não são violadas vendendo-as o mais rápido possível. 

Fruto disso, as redes Avalanche são protegidas das várias ameaças cibernéticas à blockchain, incluindo as mais comuns, tais como os ataques 51%.

Avalanche vs Polygon

Quais São as Três Blockchains da Avalanche

O design único da AVAX consiste de três cadeias, cada com características e usos distintos.

  • X-Chain: ou a cadeia Exchange, o ambiente onde os ativos digitais na Avalanche são criados, operador e geridos, utilizando AVAX como um método de pagamento.
  • C-Chain: esta cadeia de contrato inteligente suporta máquinas virtuais Ethereum que alojam aplicações descentralizadas e projetos de criptomoedas que são compatíveis com a blockchain Ethereum.
  • P-Chain: esta cadeia plataforma é responsável pela coordenação e operações das sidechains e dos nós entre cada subnet. 

Polygon vs. Avalanche: Taxas

As taxas gas da Polygon são variáveis consoante a velocidade de transação selecionada, com uma média de 0,000181 $. A rede oferece três escolhas, padrão, rápida e célere, para finalizar as operações, e cada tipo é denominado por gwei, que é a denominação das criptomoedas utilizadas para iniciar a transação.

Por outro lado, as taxas gas da Avalanche também depende da velocidade da transação, que varia entre lenta, normal e rápida, com encargos que variam entre 0,001 e 1 AVAX. A taxa base da Avalanche varia entre as sidechains utilizadas.

As transações Ethereum cobram as maiores taxas gas, com uma média de mais de 45 $ por transação em 2022.

Curiosidade

Polygon vs. Avalanche: Requisitos do Validador

As redes Polygon e Avalanche utilizam a proof-of-stake, mas com abordagens diferentes. A Polygon segue o protocolo tolerância a falhas bizantinas de Instambul (IBFT), que garante o alcance do consenso em transações à custa da descentralização. Qualquer nó pode ser um validador ao participar com MATIC.

No entanto, a Avalanche utiliza o protocolo Snowman, que assegura transações e liquidações rápidas sem sacrificar muitas das características de descentralização. Os participantes têm mais de 2000 nós para se tornarem validadores e serem elegíveis para receberem recompensas. 

Polygon vs. Avalanche: Escalabilidade

Ambas as redes suportam um número enorme de projetos DeFi e dApps, com um valor total bloqueado que excede os 5 mil milhões de dólares em cada rede. A solução de escalabilidade da Polygon compensa as lacunas da sua blockchain de base, a Ethereum. As redes Polygon suportam muitas plataformas de criptomoedas tais como Quickswap, SushiSwap, Curve, entre outras.

Por outro lado, a Avalanche suporta mais de 200 projetos de criptomoedas com um valor total bloqueado cujo pico atingiu os 10 mil milhões de dólares. As três sidechains da Avalanche suportam diferentes plataformas Web 3.0, tais como a bolsa TraderJOE, TrustSwap, Aave, entre outras.

Vantagens e Desvantagens da Polygon e da Avalanche

Cada cadeia tem características e recursos diferentes, suportando várias plataformas e projetos descentralizados que utilizam a velocidade de transação e as soluções de escalabilidade de cada rede. Analisemos os prós e contras de cada blockchain.

Polygon: Prós e Contras

  • Estimam-se que as transações por segundo da Polygon se situem nas 65 000 TPS, sendo superior às das outras redes.
  • Taxas gas baixas, rondando menos de 0,001 $.

Por outro lado, a Polygon ainda depende da blockchain Ethereum, algo que, potencialmente, pode criar perturbações na rede ou congestionamento da rede.

Avalanche: Prós e Contras

  • Protocolos de segurança fiáveis que preservam a descentralização e a escalabilidade.
  • Suporta muitos projetos de criptomoedas e plataformas Web 3.0. 

Por outro lado, a Avalanche precisa do staking de 2000 AVAX para se tornarem nós validadores, e os regulamentos não punem os intervenientes maliciosos.

Conclusão: Qual é a Melhor?

A Polygon e a Avalanche são as redes mais famosas quando falamos de projetos DeFi e de tokens, com soluções de escalabilidade robustas que superam as blockchains normais como a Ethereum e a Bitcoin.

Muitos negócios de criptomoedas lançaram as suas operações utilizando a Polygon e a Avalanche, que são suportadas pelas soluções de pagamento com criptomoedas da B2BinPay. 

A B2BinPay é uma prestadora de uma e de pagamento descentralizados líder, com soluções que incluem as blockchains Polygon e Avalanche, permitindo que pague com USDT, USDC, DAI, FRAX, TUSD e EUROC.

A escolha da rede certa depende dos objetivos e da estratégia da sua empresa. Quer prefira transações rápidas ou operações muitíssimo seguras, a Polygon vs. Avalanche ajudá-lo-á a decidir como escalar o seu negócio em criptomoedas.

Artigos recentes

Advantages of Integrating Ethereum Payment API
Vantagens Únicas de Integrar a API de Pagamentos Ethereum
Educação 02.04.2024
How and Why Should You Accept Bitcoin as Payment in 2024?
Como e Porque Deve Aceitar a Bitcoin como Pagamento em 2024?
Educação 01.04.2024
Analysing Open-Source Payment Gateways
Será que Deve Considerar uma Plataforma de Pagamentos Open-source?
Educação 28.03.2024
crypto wallet integration process
Principais Passos para a Integração da Carteira criptográfica na Sua Loja online
Educação 26.03.2024